Seguidores

domingo, 26 de julho de 2009

Doutores da Alegria


Tem muita gente que cedo, muito cedo, recolhe-se da vida, encaramuja-se, fecha-se num retiro que lhes priva de encantadores prazeres. São os que vivem dizendo que não lhes fica bem certos comportamentos, que já têm idade para não se expor ao ridículo, quando, na verdade, não há nenhum ridículo no que eles se referem.

— Sou o doutor fulano, o que vão dizer de mim se me virem fazendo isto ou aquilo? Sou uma autoridade, sou um executivo, sou um médico, sou um bestalhão, sou isso, sou aquilo...

Mais das vezes, as pessoas são mesquinhas diante da vida, apequenam-se imaginando-se grandes. Vivo recomendando aos meus amigos executivos, empresários, entrevistados, dependendo de quem seja, que façam um curso amador de teatro.

Esse curso lhes fará um enorme bem, vai descontraí-los, vai fazer-lhes mais soltos, mais relaxados, mais fascinantes, vai, enfim, torná-los mais humanos. Aprendi isso na América. Aliás, o que de bom que fazemos por aqui não veio de lá? E é bom que o mundo se prepare, o "dragão" vem vindo, ele não tem amigos, ele tem fogo para cuspir sobre o mundo, o mundo que se prepare para a pior das ditaduras...

Mas não é esse o assunto, o assunto é nos livrarmos de condicionamentos idiotas, do tipo não posso isso, não posso aquilo. O que não devemos, isso sim, é meter a mão no que não é nosso, não prevaricar, não ser desonesto do dinheiro público, mau marido, mau parceiro, tudo...

O que me traz a esta charla longa, demorada, é o encanto que sinto em ler nos jornais que se multiplicam pelo Brasil os cursos de palhaços para quem quer ser do time dos Doutores da Alegria. Pessoas que vão fazer rir, distrair e levar um pouco de conforto à crianças, a pacientes de hospitais.

Gente de todo tipo, de todas as graduações acadêmicas, de bom dinheiro no banco, gente que está descobrindo a felicidade na felicidade alheia. Gente que põe roupa de palhaço e só aí se descobre verdadeiramente gente e feliz. Imagine um general, um magistrado, um conceituado empresário, um, um, vestido de palhaço e fazendo crianças doentes rir e idosos sofredores rejuvenescer na felicidade do riso, que beleza seria.

A esperança, de fato, não morre, os Doutores da Alegria se multiplicam.

6 comentários:

  1. Saudações!
    Amigo IVANDRO
    Maravilha!
    Seu artigo é extremanete humanista, educativo e de grande relevância social. E principalmente levar alegrias aos enfermos é um gesto verdadeiramente nobre!
    Concordo com você plenamente, um curso voltado as artes teatrais faz uma bem imensurável ao espírito!
    Parabéns pelo texto!
    Abraços,
    LISON.

    ResponderExcluir
  2. O trabalho deles é fantástico.E abalizado cientificamente até - sem falar no ganho humanitário.

    Parabéns pelo Post Ivandro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Os Doutores da Alegria é uma iniciativa fantástica. Parabéns pelo artigo Ivandro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  4. Ahhh eu amo isso... uma vez tentei participar e nem imaginava que já estava meio de "quadro lotado". Que bom ter tantas pessoas com tanto amor para querer fazer o mesmo!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. O pão de cada dia
    O melhor caminho é aquele por onde teu coração
    é presente, por onde teus pés caminham.
    O teu caminho torna-se sagrado pelo simples fato
    de estares inserido nele.
    Nele estão todos os teus humores, tuas vontades,
    teus sonhos, tuas alegrias, tuas dores.
    Questões já assumidas, outras ainda por trabalhar
    e outras tantas já esquecidas em algum lugar do teu ser...
    Nele tens a capacidade de girar a roda quando desejares,
    escolhendo outros rumos, outras coisas.
    Já pensaste quantos espaços dentro de ti
    estão à espera dos teus pincéis,
    das tuas tintas, da tua criação?
    Já sentiste que tens todos os meios para te lançares
    naquilo que o teu coração tanto anseia?
    Seja um perdão, um pouco de silêncio,
    um pouco mais de compreensão, paciência, discernimento, alegria...
    Muitas vezes, fechas os olhos para esta realidade,
    entregando-te nas mãos de outros para que te cuidem
    e te mostrem o caminho pelo qual deves seguir.
    Culpas a vida por sentir-te excluído, esquecido,
    por não seres agraciado...
    Quem pode, realmente. fazer algo por ti,
    se tudo depende da tua vontade, do teu querer?
    Não há remédio...
    Tens que arregaçar as mangas,
    sacudir a poeira dos teus pés e prosseguir.
    Prosseguir nem que seja no escuro,
    sem saber ao certo para onde estás indo...
    O importante é não desistires, não estagnares.
    Mesmo nos momentos onde te sentes perdido,
    completamente sem direção, há algo que trabalha em ti
    e por ti de uma forma constante.
    Lá, por trás das inúmeras sombras, medos
    e decepções, algo ilumina...
    Algo aprende, algo organiza...
    E então, num belo dia, acordas sentindo que
    a tempestade passou, que uma leveza encerra
    o teu coração num doce balanço...
    É... A vida prossegue,
    mesmo quando tendes a acreditar
    que as tuas forças ficaram lá trás.
    Abençoa-te, revigora teu caminho,
    pois ele te pertence
    e está, definitivamente, sob os teus cuidados.
    Não há “outro” para cuidar da tua jornada.
    Somente tu podes percorrê-la e vivenciá-la.
    Este é o pão de cada dia.

    QUE VC TENHA UM LINDO E MARAVILHOSO DIA. FIQUE COM DEUS. "Antonio "

    http://noticiasjornaistv.blogspot.com/

    http://curiosidadesdoplantaterra.blogs.sapo.pt/

    ResponderExcluir

  • Leia também: